Meninas Kaygang disputaram finais do Bom de Bola no Paraná

08/11/2017
atacante Jocimara , kaygang do CE Rio das Cobras, Nova Laranjeira (Foto de Carlo
Na fase semifinal do Bom de Bola Paraná, a equipe do Colégio Estadual de Rio das Cobras, do município paranaense de Nova Laranjeira, perdeu para o Colégio Estadual Ouro Verde, de Ouro Verde do Oeste – mas nem por isso deixou de ser uma das principais atrações da edição 2017 do torneio Bom de Bola. A equipe de 16 meninas kaygangs da categoria A (14 a 17 anos) jogou bonito e se diferenciavam por só se expressar no idioma nativo durante as partidas. Desde 2010 o colégio das indígenas participa do Bom de Bola e sonhava em chegar as finais do campeonato.
 
Comandada por três treinadores, entre eles professora Diomara Rénhrá, membro da tribo, as meninas kaygang fazem bem mais do que jogar futebol quando participam do Bom de Bola. “Além de movimentar a aldeia, os jogos fazem com que elas vislumbrem uma vida ligada ao esporte e fortalece o sentimento de união já tão inerente em seu povo” revela o técnico Valmir Rodrigues.
 
Diomara, uma ex-atleta do Bom de Bola em 2010 e 2012, garante que a disputa incentiva ainda mais as jovens a se preparar e a gostar de competir em campo. “Elas se espelham na treinadora e o esporte é levado muito a sério na aldeia” completa Rodrigues.
 
Os destaques foram as atacantes Graciela e Jocimara, lideradas pela capitã Adrieli Fernandes, de 17 anos. “Atingi a idade limite e este ano é minha última chance de ajudar minhas companheiras neste campeonato que tanto nos faz acreditar no sonho de jogar bola como profissão. Sei que é muito difícil, mas queremos muito ajudar nossa aldeia e famílias” relatou Adrieli, emocionada.